Oi gente! Tudo bom com vocês? Vamos conversar sobre vício em  celular? Eu diria que hoje é um dos males do século. Eu, por exemplo, sou viciada desde 2012. E com o tempo fui tentando entender de onde vinha meu vício e como ele afeta a minha vida.

Nesse ano de 2017 eu tentei de todas as maneiras diminuir meu vício em celular e quero compartilhar com vocês a minha experiência.

Para contextualizar, eu sou uma pessoa que não consegue sair de casa sem o celular, não consegue comer sem usar o celular e que passa o dia todo checando o whatsapp e redes sociais.

No início eu achei que a culpa do meu vício era o instagram porque eu passava a maior parte do tempo nele. E o que eu fiz? Desativei minha conta e exclui o aplicativo. Adiantou nos primeiros dias mas depois eu comecei a usar o celular para ver o facebook. Eu troquei o tempo que usava o instagram pelo facebook.

Aí eu fui e desativei o facebook e também e excluí o aplicativo. E sabe o que aconteceu? Eu comecei a gastar o tempo jogando Candy Crush kkkkkkk.

No Candy Crush eu percebi que o problema não eram os aplicativos. Meu problema não era o instagram, nem o facebook, nem o jogo, era o celular. Na verdade nem o celular, né? O problema era eu.

Eu baixei tudo de novo, voltei para todas as redes sabendo que o problema não eram elas e que eu precisava identificar o que me fazia estar sempre ao celular. Eu ficava mexendo no celular, entrava em todos os apps, passava muito tempo neles e quando saia do celular uma culpa horrorosa tomava conta do meu ser. Culpa porque eu sentia e sinto que tempo usando o celular é tempo jogado fora. Principalmente o tempo que passo vendo a vida alheia acontecer e deixando de fazer coisas úteis para que a minha vida aconteça. 

Eu sempre programei minha semana e meu dia e nunca incluía as horas que eu gastava usando o celular na minha programação. Aí depois de não conseguir cumprir meu cronograma minha frustração era enorme. Então minha rotina era programar meu dia sem usar o celular, usar o celular por muito tempo para ver coisas inúteis e ficar com muita culpa depois.

Com o passar do tempo eu comecei a perceber que em qualquer pensamento ruim, angústia, ansiedade ou cansaço que eu sentia e sinto durante o dia eu uso o celular como válvula de escape. Ele é como se fosse uma droga que dá uma acalmada em mim kkkk. Mas eu não consigo usar o celular por um minuto e pronto, quando eu começo a usar é difícil sair dele. Percebi também que quando eu estou ansiosa é quando eu mais uso o celular.

Eu já tentei estipular horários para usar, deixar desligado por um final de semana, excluir aplicativos e nada deu certo ainda. Como eu percebi que minhas emoções influenciam no uso do celular não faz muito tempo, ainda estou na fase de trabalhar melhor minhas emoções para lidar com isso.

Vocês já pararam para contabilizar quanto tempo passam no celular? O que poderiam ter feito durante o dia e não fizeram por ficarem mexendo no celular vendo besteiras?

A graça da vida é achar o equilíbrio em tudo, equilíbrio na alimentação, no trabalho, no lazer, nos relacionamentos, no tempo ao celular….  E viver a vida é uma eterna busca por isso. Eu não quero deixar de passar tempo no celular mas quero passar menos tempo fazendo isso e quero que ele não seja válvula de escape nenhum pra mim!

Eu fico pensando que quero ter 80 anos, olhar pra trás e ver o que eu fiz de bom por mim, pelos outros e em como gastei meu tempo curtindo a minha vida. De forma alguma quero pensar que gastei muito tempo no celular, principalmente vendo a vida dos outros! Isso não está nos meus planos kkkkkkk.

Vou tentar trabalhar melhor esse lado das emoções, tentar perceber sempre antes de pegar o celular o que me fez fazer isso, se foi necessidade ou não e tentar buscar outras formas de diminuir o tempo que gasto nele. Espero voltar aqui para falar desse assunto com boas notícias =).

Alguém mais passa por esse problema? Conta pra gente seu relato e o que você faz para contornar isso!

Beijoossss